Receba conteúdo diretamente no Messenger Podcasts exclusivos, direto no Spotify
Tempo de leitura: 5 minutos

Como separar os gastos pessoais e os gastos empresariais

Algar Telecom | 8 de março de 2019

Você sabe quanto a sua empresa lucra por mês? A reserva do negócio é suficiente para pagar as contas em tempos de vacas magras? Se você ficou em dúvida para responder essas perguntas, talvez você precise aprender a separar gastos pessoais e empresariais.

Entenda por que é tão necessário fazer essa separação da forma correta e confira quais são os passos que você deve seguir. Vamos lá?

A importância de separar gastos pessoais e empresariais

Muitos empresários não sabem, mas um princípio da contabilidade é a separação das receitas e gastos das pessoas física e jurídica. É algo bastante comum, já que nas micro e pequenas empresas, geralmente, o dono fica responsável por todos os assuntos relacionados à gestão.

Entretanto, fique sabendo que separar gastos pessoais e empresariais é necessário para ter dados mais precisos do negócio. Se você não faz isso, provavelmente deve estar enfrentando dificuldades para saber se a empresa está, de fato, gerando lucro.

Ao fazer a devida separação, a administração do negócio se torna mais simples e as chances de sucesso aumentam. Sem contar que isso também te ajuda a organizar os seus gastos pessoais e garantir que você não esteja gastando mais do que ganha.

Veja como evitar essa confusão de uma vez por todas

Coloque ordem na casa

O primeiro passo para separar gastos pessoais e empresariais é analisar a realidade financeira da sua empresa assim como os seus próprios gastos. O que isso quer dizer? Trata-se de algo bastante simples: calcule o quanto você lucra com o seu negócio e o quanto você gasta por mês.

Uma dica é elaborar duas tabelas, uma com os gastos da empresa e outra com os gastos pessoais. Absolutamente todas as despesas devem ser inclusas nessas tabelas. Assim, fica muito mais fácil ter uma visão do todo.

Defina o pró-labore

O pró-labore nada mais é do que é seu próprio salário. Defini-lo é extremamente importante na hora de separar gastos pessoais e empresariais. Afinal de contas, o lucro do empresário não deve ser confundido com o lucro da empresa, usado para investimentos, capital de giro e para fazer o pagamento dos colaboradores.

Já o seu próprio salário precisa ser condizente com os valores pagos por outras empresas para a mesma função. Porém, ele também deve ser adequado à realidade do seu negócio, pensando que ele não pode comprometer a situação financeira da empresa.

Tenha contas bancárias diferentes

Uma das coisas que causa mais confusão na vida dos empresários é ter uma única conta para tudo. Por isso, é fundamental que você tenha duas contas distintas para separar gastos pessoais e empresariais da maneira correta. Do contrário, a organização financeira fica bem complicada.

Ter contas separadas é importante para fazer o devido controle dos gastos da empresa e verificar se o negócio está sendo lucrativo. Além disso, isso traz uma enorme vantagem para a declaração do Imposto de Renda.

Garanta reservas mensais

Seja na nossa vida pessoal ou no mercado, é preciso estar preparado para as mudanças e possíveis imprevistos. Sendo assim, guardar uma quantia mensalmente é algo primordial. E, em relação ao negócio, ter uma reserva financeira pode garantir a sobrevivência em tempos ruins.

Na vida pessoal, tudo pode acontecer também. Portanto, pense em começar uma poupança ou algo do gênero. Aqui, o que não pode acontecer é recorrer ao caixa da empresa caso você precise de dinheiro para cobrir alguma despesa familiar.

Que tal conferir outras dicas que podem ajudar na gestão da sua empresa? Confira este post e conheça algumas ferramentas gratuitas para aumentar a produtividade do seu negócio!

Posts relacionados:

Para melhorar sua experiência,
selecione um perfil de conteúdo: