Receba conteúdo diretamente no Messenger Podcasts exclusivos, direto no Spotify
Tempo de leitura: 4 min

Big Data e Small Data: quais são as diferenças e a melhor opção?

Algar Telecom | 27 de março de 2019

MGE

A informação é indispensável para empresas que querem conhecer seu público, ampliar mercado e crescer. Por meio da coleta de dados, a empresa pode desenvolver estratégias e aplicar soluções que proporcionem uma experiência melhor ao seu público. O Big Data vem sendo utilizado como ferramenta, mas outras soluções também surgem como alternativa.

O Small Data é outro recurso que permite a coleta e a mensuração dos dados. Você sabe qual a diferença entre Big Data e Small Data? Descubra neste artigo.

O que é Big Data

O conceito de Big Data se refere a análise e interpretação de dados em grande volume e variedade. A solução é utilizada por empresas que precisam lidar com um grande volume de dados que não apresentam uma estrutura definida.

O Big Data captura, armazena e ajuda as empresas a analisarem essas informações. Para isso, uma série de ferramentas são utilizadas, pois permitem aos profissionais trabalhar com esses dados em grande velocidade.

Por meio dessa análise, a empresa encontra caminhos para desenvolver estratégias de atração e retenção de clientes, marketing, melhorias em seus serviços, etc.

O que é Small Data

O Small Data é a coleta de uma pequena quantidade de dados que são capazes de conectar clientes e oportunidades para as empresas. Esse recurso decifra dados específicos, que podem influenciar diretamente na tomada de decisão da empresa.

Os dados coletados pelo Small Data são mais enxutos e fáceis de entender e acessar. Geralmente, essas informações são usadas para melhorar os processos da empresa, aumentar o ROI e o desempenho do negócio.

Quais são as diferenças entre as duas opções

Origem das informações

Os dados coletados por meio do Big Data são encontrados em um ambiente abrangente, como uma nuvem, bancos de dados, dispositivos da própria empresa, ferramentas de CRM, ERP ou ambientes externos.

Enquanto que os dados encontrados a partir do Small Data são originários do banco da própria empresa, por isso são mais enxutos.

Volume de dados

O Big Data trabalha com dados mais amplos e em grande volume. O Small Data lida com informações em volume menor e mais pontuais, como por exemplo um histórico de vendas.

Formato dos dados

Os dois conceitos fazem seu próprio garimpo dos dados. O Big Data manipula dados que podem ser ou não estruturados, originário de diversas fontes. Por isso, sua interpretação deve ser minuciosa. O Small Data coleta dados estruturados e prontos para serem analisados.

Interpretação dos dados

Como o Big Data lida com um grande volume de dados variados, é necessário contar com ferramentas específicas de análise. Para o Small Data, o processo é mais simples, pois as informações são limitadas e seguem um padrão.

Qual a melhor opção para sua empresa?

A escolha por uma metodologia ou outra vai depender da necessidade do negócio e do volume de dados que precisam ser coletados e analisados. Isso não quer dizer que o Big Data é mais indicado para grandes empresas e o Small Data para empresas pequenas.

Uma grande corporação pode utilizar o Small Data se o objetivo for analisar o comportamento de compra ou as compras realizadas por um grupo específico de clientes. Da mesma forma, a empresa que quer ampliar seu mercado pode coletar dados de diferentes perfis, localidades, interesses etc., para construir sua análise.

Independentemente de qualquer um dos casos, a empresa deve estar atenta para a nova lei de proteção de dados, que regulamenta sobre a coleta e o armazenamento das informações dos clientes. Veja, neste artigo, 6 medidas para adequar sua empresa a nova lei de proteção de dados.

Posts relacionados:

Para melhorar sua experiência,
selecione um perfil de conteúdo: