Receba conteúdo diretamente no Messenger Podcasts exclusivos, direto no Spotify

Entenda como as impressoras 3D podem transformar vários setores do mercado

Cristina Cruz | 29 de abril de 2016

As impressoras 3D possibilitam a impressão de praticamente qualquer tipo de material, sejam brinquedos, partes de equipamentos industriais ou próteses para animais. Embora alguns desses artigos não passem de moldes a serem preenchidos pelo material do produto final, muitos deles já saem prontos para a utilização, como é o caso dos bonecos e acessórios para celulares, por exemplo.

Atualmente, as impressoras 3D estão disponíveis com faixas de preço mais acessíveis e há a estimativa de redução. Assim, uma série de novas aplicações passou a fazer parte das suas possibilidades. Além do fato do equipamento passar a caber no orçamento de ainda mais pessoas e empresas.

Impressoras 3D para empresas em diversos setores

O diretor de marketing da Autodesk – companhia que desenvolve diversos softwares 3D, como o AutoCAD, Márcio Reis Pinto, tem acompanhado de perto o crescimento e popularização do mercado das impressoras 3D e acredita que esses equipamentos podem influenciar, inclusive, no âmbito econômico mundial.

De acordo com Márcio, em cinco anos, esse mercado se desenvolveu muito e tende a crescer ainda mais. Segundo ele, o principal foco das impressoras 3D hoje são as próteses ortopédicas. Por utilizarem plástico, elas conseguem reduzir os custos dos implantes, além disso, é possível personalizar, ou seja, a criar desenhos variados, que tornam a prótese exclusiva. E é justamente pela possibilidade de ter algo mais personalizado que o diretor de marketing acredita em crescimento. E não apenas no mercado de próteses, mas também de acessórios de moda, peças para carros e móveis.

Sendo assim, vários setores poderão ser impactados e até transformados com a nova tecnologia. Alguns exemplos são:

Construção civil

Uma casa impressa teria um custo muito mais baixo que uma casa construída no modelo tradicional, por diversos fatores. O primeiro deles é o custo do material, como tudo é calculado, não há desperdício, o que evita gastos desnecessários. Outro motivo é o custo com trabalhadores. Como não é preciso ter muitos operários trabalhando na obra, é possível economizar muito nesse quesito. Além disso, também seriam evitados custos com possíveis acidentes de trabalho, visto que a construção civil não é um lugar seguro.

Outro fator importante é o tempo: estudos garantem que uma casa inteira pode ser impressa em até 20 horas, o que, novamente, serviria para baixar ainda mais o custo como um todo. Se considerarmos o conjunto desses fatores, teríamos uma redução de custos realmente expressiva, o que poderia refletir em casas com preços muito mais acessíveis.

Além das casas, outras obras poderiam ser realizadas com menor custo e em menos tempo, como a construção de pontes, viadutos, edifícios, entre outros. A empresa de engenharia civil MX3D, na Holanda, por exemplo, iniciou a construção da primeira ponte por impressão 3D sobre um canal de Amsterdã.

Receba informações e dicas exclusivas em TI e Telecom, assine nossa Newsletter:

Moda

Atualmente, as impressoras 3D têm conseguido produzir roupas com materiais melhores, usando estruturas intermediárias para criar as costuras. Elas adequam-se mais ao corpo e ficam semelhantes às roupas de tecido. Já existem coleções inteiras fabricadas a partir da impressão em três dimensões e uma das grandes vantagens em utilizar a técnica para criar itens de moda é o fato de elas já estarem prontas para o uso e terem um custo reduzido, tanto no material quanto na mão de obra, o que representaria um processo de fabricação mais eficiente e econômico se comparado ao modelo atual.

Ainda em relação à área de moda, a confecção de joias já utiliza a impressão 3D há algum tempo. A indústria aplica esse método para a criação de protótipos, tanto para a montagem de peças novas, a fim de visualizar como seria o produto, quanto para confeccionar as ideias dos clientes para o desenvolvimento de itens exclusivos (especialmente para teste e observação de como seria a peça real no corpo).

Além disso, impressão em terceira dimensão torna possível a criação de itens cujas estruturas complexas exigem grande precisão. E, assim como no caso da impressão de roupas e acessórios, o produto também possui a vantagem de ser confeccionado em um período menor de tempo.

Educação

Apesar de pouco difundida no Brasil, a ideia já vem sendo posta em prática em escolas e universidades dos Estados Unidos, Austrália, Grã-Bretanha, entre outros e acredita-se que as impressoras 3D poderão provocar uma revolução na educação.

Sua utilização em sala de aula pode ser bem ampla, variando na impressão de modelos topográficos de regiões à reprodução de animais, modelos de planetas e galáxias. O que é  muito mais atrativo aos olhos dos alunos, além da possibilidade de se aprender com grande riqueza de detalhes.

Já os professores deverão se adaptar às mudanças e identificar as melhores maneiras de introduzir essa tecnologia às aulas. A inserção da impressora 3D nas escolas tem como objetivo transformar a rotina vigente, na qual os alunos apenas consomem o conteúdo passado pelos educadores. Fazendo com que as relações escolares se transformem, assim como a forma de ensino e aprendizado, desenvolvendo novas competências e habilidades nos alunos.

Impressoras 3D no Brasil

O início desta década marcou também o início da expansão do mercado de impressoras 3D no Brasil. Por aqui, a procura por esses equipamentos gerou não apenas importações, mas também o surgimento de empresas 100% nacionais (como a Cliever Tecnologia) que saem na frente no setor de prototipação e modelagem tridimensional. O que significa que os brasileiros que desejam investir nesse tipo de equipamento podem tanto importar quanto comprar aqui mesmo.

No entanto, a tecnologia de impressoras 3D ainda é novidade no mundo todo, principalmente no Brasil. Dessa forma, ainda não existem muitas assistências técnicas especializadas nesse tipo de máquina. Portanto, caso haja algum problema, existem caminhos alternativos para tentar resolvê-lo, como entrar em contato com o fabricante, que poderá fornecer suporte, instruções de conserto e peças que forem necessárias.

É essencial, portanto, que empresários de todos os setores estejam atentos às novidades tecnológicas e ao impacto que elas podem trazer ao seu negócio. O custo-benefício de ter esse equipamento certamente vale o investimento. Na internet, há, inclusive, tutoriais de como confeccionar a sua própria impressora 3D.

Para quem deseja comprar uma pronta, existem várias opções disponíveis no site Mercado Livre. Os preços variam de R$ 2.000 a R$ 10.000, mas esse pode ser considerado um bom começo para aqueles que desejam se modernizar e conhecer mais sobre as diversas possibilidades da impressão 3D. Como o equipamento está se popularizando rapidamente, é possível que em breve exista ainda mais modelos disponíveis por valores cada vez menores, inclusive no Brasil.

E você, está preparado para todas essas transformações tecnológicas? Compartilhe conosco a sua experiência!

Posts relacionados:

Para melhorar sua experiência,
selecione um perfil de conteúdo: