Receba conteúdo diretamente no Messenger Podcasts exclusivos, direto no Spotify
Tempo de leitura: 5,6 minutos

4 dicas de finanças para empresas que estão começando

Algar Telecom | 19 de fevereiro de 2019

Dicas de finanças para empresas que estão começando são essenciais. Na fase inicial, muitas vezes, a empolgação e a emoção acabam falando mais alto que a razão, o que é muito perigoso. Afinal, quando se trata de questões financeiras, basta uma decisão errada para comprometer a continuidade do negócio.

Nesse sentido, buscar conhecimentos sobre o assunto deve fazer parte da cartilha básica de todo administrador. Quando se adota uma gestão financeira segura, as chances de sucesso são muito maiores.

Para ajudar o seu empreendimento e evitar que você caia em armadilhas, neste artigo, apresentaremos 4 ótimas dicas de finanças para empresas que estão iniciando. Continue lendo e confira!

1. Crie um planejamento financeiro

Criar um planejamento financeiro está entre as principais dicas de finanças para empresas, pois é algo essencial para a manutenção saudável do caixa. Basicamente, trata-se de um documento e/ou planilha no qual o gestor anota toda a movimentação do dinheiro da organização – entrada e saída.

É necessário computar todos os gastos, dos fixos aos variáveis. Por exemplo:

  • investimentos em infraestrutura;
  • despesas com funcionários;
  • gastos com fornecedores;
  • energia elétrica;
  • telefonia;
  • internet;
  • água.

Para manter organização e facilitar futuras tomadas de decisões, separe os gastos identificando-os por grupo, por exemplo, fixos, variáveis, emergenciais etc. Assim, você saberá de onde vem o aporte financeiro e como ele está sendo investido.

Trabalhe sempre com um planejamento anual, programando as entradas de capital e os custos fixos dentro desse período. Isso permitirá que você supervisione com mais facilidade o caixa da empresa, bem como mantenha uma previsão de lucro de longo prazo.

2. Monitore a DRE

A Demonstração dos Resultados do Exercício (DRE) é um acompanhamento contabilístico de uma empresa, utilizado para mostrar o resultado líquido das receitas. Para chegar aos números concretos de cada exercício, o DRE confronta os investimentos, os resultados e a receita.

O monitoramento é essencial para que o empreendedor tenha real noção sobre a situação atual do negócio. Além disso, eles são vitais na hora de criar estratégias, pois oferecem elementos suficientes para uma tomada de decisão mais segura.

Entre as dicas de finanças para empresas apresentadas na postagem, utilizar a DRE como base da gestão significa abandonar de vez o “achismo” e agir de forma racional de acordo com os números de relatórios.

3. Trabalhe com faturas e pagamentos on-line

Com o advento da internet, um mundo de possibilidade se abriu para o empresariado. No que tange os pagamentos e as faturas, as empresas não precisam mais deslocar um funcionário a ficar horas na fila do banco pagando uma infinidade de boletos.

Hoje, já é possível realizar diversas transações diretamente pelo computador ou outro equipamento conectado à internet. E a presença digital dos maiores bancos só mostra o quanto os pagamentos eletrônicos são meios confiáveis para empresas e pessoas físicas.

Além da comodidade, a prática beneficia diretamente a empresa e reduz os custos de deslocamento. Ao optar pelo meio digital, o empreendedor exclui a necessidade de contratar um colaborador apenas para ir ao banco. Com isso, o negócio deixa de gastar valores com questões trabalhistas, transporte (ou gasolina), treinamento, entre outros.

Por fim, adotar o pagamento on-line melhora a organização e dinamiza o trabalho do setor financeiro, pois diminui o número de papéis e documentos físicos e facilita o envio de faturas e cobranças para os clientes.

4. Não confunda finanças pessoais com as finanças da empresa

Um dos erros comuns de empresários iniciantes é “confundir” o capital próprio com o do negócio. A maioria ignora que a organização é uma pessoa jurídica e acaba utilizando o seu capital para gastos pessoais.

Essa atitude não apenas traz defasagem para o caixa financeiro, como também prejudica os resultados gerais da instituição. Ainda que, inicialmente, não traga grande impacto, em longo prazo, certamente comprometerá a continuidade do negócio.

Para evitar confusões e prejuízos, é necessário definir o pró-labore para cada sócio, separando de vez as finanças da empresa. Não obstante, é essencial que cada participante tenha bom senso e não utilize o cartão-corporativo de forma demasiada.

Enfim, essas foram algumas excelentes dicas de finanças para empresas iniciantes. Porém, muito mais do que qualquer atitude prática, é importante buscar conscientização por parte de donos e funcionários sobre a relevância de preservar e cuidar dos bens materiais da empresa. É preciso entender que trabalhar pela saúde financeira da empresa é um dever coletivo.

Então, qual dessas dicas de finanças para empresas você achou mais interessante? E que tal continuar se aprofundando no assunto e conferir o nosso texto com 5 formas de conseguir investimento para pequenas empresas?

Posts relacionados:

Para melhorar sua experiência,
selecione um perfil de conteúdo: