Receba conteúdo diretamente no Messenger Podcasts exclusivos, direto no Spotify

O papel do monitoramento de rede para a segurança de TI

Algar Telecom | 26 de setembro de 2017

O constante avanço da tecnologia e a gigante produção diária de dados, que já figura na casa dos quintilhões de bytes, representam a irreversível transformação digital pela qual a sociedade está passando. No mundo corporativo, essa mudança é ainda mais latente, sendo indispensável para o crescimento das médias e grandes companhias.

Inscrito nesse panorama, o departamento de TI tornou-se peça fundamental da estratégia de desenvolvimento de uma empresa. A constante evolução da tecnologia da informação, o desenvolvimento de ferramentas inovadoras e as novas demandas do mercado consumidor estão propiciando e modificando cada vez mais os negócios em diferentes segmentos.

Nesse sentido, os profissionais de TI desempenham funções que vão muito além das tradicionais práticas operacionais, inserindo-se no centro da articulação da transformação tecnológica, como motores que impulsionam as empresas a partir de soluções e oportunidades em tecnologia da informação.

Sob essa nova configuração, portanto, o setor de TI tem em suas mãos um grande poder de transformação estratégica. A partir da análise de dados e da nuvem, é capaz de modificar a forma pela qual as empresas interagem com os seus clientes, como qualificam os seus colaboradores, de que maneira sofisticam as suas operações e até mesmo como entregam seus produtos.

Por consequência desse papel central da TI nas empresas, esse cenário se caracteriza, ainda, pela necessidade de ambientes de redes bem planejados, integrados, velozes, funcionais e, sobretudo, seguros. Evitar gargalos nas diferentes operações digitais da empresa significa dizer que aquela companhia está em pleno funcionamento, cabendo comparar as redes de determinada companhia a um coração, cuja função é interligar e manter a atividade de todos os seus sistemas. E, do mesmo modo como o ser humano deve se preocupar com a sua saúde cardíaca, realizando check-ups periódicos, as redes corporativas também devem ser monitoradas.

O que é o monitoramento de rede?

Como é possível de se imaginar, gerenciar a rede de uma grande corporação é uma tarefa complexa. Para o bom funcionamento da rede de uma empresa, é necessário que se utilize softwares e hardwares que objetivam aprimorar os trabalhos e serviços dentro de seu espaço. Para isso, deve-se levar em conta que, mesmo o uso de equipamentos ultramodernos e de softwares mais atualizados, não há garantias de sistemas imunes a erros. Nesse caso, a solução mais eficiente é fazer o monitoramento constante das redes a fim de se evitar ameaças e interrupções que possam prejudicar o seu funcionamento.

Abrir brechas para essas interrupções pode significar um grande prejuízo às corporações que, dependendo do problema causado na rede, podem sofrer um forte impacto em sua produção. Além disso, o monitoramento pode, além de prever erros, identificar oportunidades estratégicas para que medidas sejam adotadas a fim de se expandir a rede ou aperfeiçoar determinado serviço.

Nesse sentido, monitorar o desempenho de uma rede é se manter prevenido para possíveis problemas ou identificar sinais que possam apontar para alguma anormalidade do sistema e qual a melhor medida a ser tomada. Em outras palavras, monitoramento proativo e reativo: antecipar e/ou resolver problemas já detectados.

Além de detectar problemas de redes, ou maximizar a sua eficiência e capacidade produtiva, o monitoramento também deve ser realizado para resguardar dados, isto é, por motivos de segurança. Alguma ameaça ou ataque à rede de uma empresa pode danificar suas informações, resultando na perda ou comprometimento dos dados. Dentre as tarefas delimitadas a partir do monitoramento de redes, destacam-se:

  • Planejamento de capacidade, desempenho, segurança;
  • Controle de acesso à rede;
  • Disponibilidade;
  • Documentação de configuração;
  • Suporte ao usuário;
  • Gerência de problemas;
  • Controle de inventário;
  • Escalabilidade.

Por isso, ao desenvolver um plano de monitoramento, é necessário ativar funções que possibilitem o controle total da rede e seus serviços, fornecendo mecanismos de análise e controle dos dispositivos e recursos da rede. Portanto, o que as ferramentas de monitoramento vão fazer, efetivamente, é mostrar as métricas de maneira visual (por meio de gráficos, números, infográficos e mapas) e, a partir dessa informação, fornecer subsídios ao setor de TI para tomadas de decisões. Tendo isso em vista, apresenta-se abaixo uma das mais completas e eficientes ferramentas de monitoramento de redes.

Agora que você já sabe que, para gerenciar e analisar todos os dados trafegados na rede, as médias e grandes corporações precisam se valer de soluções que apoiem a gestão de TI, fornecendo formas de visualização destes dados, a partir de ferramentas de monitoramento de redes, pretende implementá-las na sua empresa? Essas operações já são realizadas? Conte-nos sua experiência na seção de comentários.

Posts relacionados:

Para melhorar sua experiência,
selecione um perfil de conteúdo: