Receba conteúdo diretamente no Messenger Podcasts exclusivos, direto no Spotify

5 motivos infalíveis para migrar sua empresa para a nuvem

Cristina Cruz | 13 de setembro de 2016

Já faz algum tempo que o assunto computação em nuvem é discutido como uma das grandes revoluções dentro do universo de TI. O desenvolvimento ao longo dos últimos anos de novos conceitos e possibilidades mostrou que com soluções baseadas em cloud é possível tornar mais fácil a portabilidade de arquivos e a otimização de tarefas, aumentar o engajamento e a colaboração do trabalho em equipe além de garantir a segurança de dados importantes.

A inovação proporcionada pela gestão em nuvem traz muitas vantagens que podem ser cruciais para a estratégia de diferenciação do seu negócio no mercado. Listamos a seguir alguns dos principais benefícios que têm feito as empresas aderirem cada vez por soluções de Cloud Computing.

Elasticidade

Uma das principais vantagens de usar cloud é a total flexibilidade que os clientes possuem para aumentar ou diminuir espaços e capacidades de CPU, memória, disco e banda adquirida no servidor contratado. Com base na demanda que o negócio exige, é possível moldar de forma simples o armazenamento e o processamento na nuvem, levando à completa adaptação de espaço e custos associados ao servidor.

Esse tipo de funcionalidade é ideal para empresas que apresentam demandas sazonais, como e-commerces, por exemplo, que apresentam alta demanda nos meses de novembro e dezembro, mas no restante do ano essa demanda é menor. Esse benefício de poder garantir eficiência em momentos de picos de acessos e vendas pode ser fundamental para o bom atendimento aos consumidores e também para estratégias de redução de custos da empresa.

Assim, a elasticidade proporcionada pela tecnologia cloud pode ser o diferencial para uma empresa se tornar inovadora. Uma vez que o principal motivo é conquistar vantagem competitiva em relação a concorrentes, a estratégia de lançamento de novos produtos e serviços, por exemplo, precisa se apoiar ou até mesmo ser construída na nuvem, pois o ciclo de desenvolvimento – que envolve criação, validação e implementações – pode ser significativamente mais ágil e eficiente.

Por isso, não importa o tamanho da sua empresa. Qualquer que seja a necessidade relacionada à demanda de processamento e espaço, a computação em nuvem é uma excelente opção. Ela acompanha as mudanças do negócio, e está completamente ligada ao ritmo de desenvolvimento da organização sem custos inesperados ou ociosidade de servidor.

Segurança

A segurança ainda é um das principais dúvidas quando o assunto é a migração para um provedor de cloud, pois muitos gestores ainda consideram um risco ter informações importantes fora de seus domínios físicos. No entanto, o servidor remoto pode ser um grande aliado das empresas na segurança de dados, uma vez que a chance de perda dessas informações é mínimo.

A garantia dessa proteção oferecida pela computação em nuvem deve-se ao fato dos provedores seguirem altos padrões de segurança física e lógica além de contar com profissionais especializados no assunto, que garantem o sucesso desse propósito. Outro ponto importante está relacionado ao tempo e facilidade para a realização de backups. Em sistemas onlines, a cópia de segurança é feita rapidamente e sem a mobilização de equipes inteiras, como acontece quando o backup é feito a partir de servidores instalados nas dependências da empresa e que necessitam de discos físicos que os dados sejam guardados.

Além disso, com o coud computing o acesso às informações armazenadas na nuvem podem ser melhor segmentadas a partir de autorizações específicas. Isso quer dizer que o gestor responsável da área  pode atribuir permissões distintas aos colaboradores, podendo assim proteger os dados que considera mais importantes.   

Controle de custos

Contratar um plano em uma plataforma de cloud representa ter total controle quanto aos custos existentes para o armazenamento em servidores remotos. Cálculos relacionados a pacotes de serviços, despesas de operação de TI e custos com manutenção podem ser facilmente obtidos através da interface do provedor contratado, tornando o controle de gastos bem previsível. Existem provedores que cobram em dólar, o que torna o custo maior se comparado a cobranças feitas em real, por isso é preciso estar atento quanto à moeda em que esses custos normalmente operam, além da exposição internacional de dados, uma vez que os servidores nesses casos, em sua maioria, não estão baseados nacionalmente.

A flexibilidade, mencionada anteriormente, é o principal fator pelo qual os custos podem ser melhor controlados. Isso porque é possível fazer tanto upgrade quanto downgrade de forma simples, pagando de fato somente pelo espaço de armazenamento e processamento utilizado. Assim, o desperdício de recursos e surpresas indesejáveis com gastos fora do previsto passam longe dos departamentos de TI e financeiro da sua empresa.

Custos relacionados à energia também podem ser drasticamente reduzidos com a computação em nuvem. Segundo mostrou uma pesquisa feita pela Universidade Northwestern, em conjunto com o Laboratório Nacional Lawrence Berkeley, o gasto energético com a manutenção de servidores físicos poderia ser reduzido em até 87% a partir da adoção de soluções de cloud.

Foco no negócio

Com a gestão de infraestrutura na nuvem, tanto os gestores quanto os profissionais de TI não precisam mais se ocuparem tanto com assuntos ligados à atualização de softwares, backups, segurança contra ataques, entre outros. Assim, é bem provável que o retorno sobre o investimento feito com a contratação de um solução de cloud seja alcançado rapidamente.

Com o foco cada vez mais voltado para o negócio em si e menos para setores de gestão operacional e infraestrutura, cada equipe pode voltar sua atenção para as prioridades que suas tarefas principais demandam, aumentando, assim, a chances de sucesso das iniciativas da empresa.

Performance

A performance é uma variável muito importante para que as aplicações levadas para a nuvem alcancem os resultados esperados. Tanto o servidor contratado quanto as aplicações devem estar preparados e precisam conversar entre si para que tudo aconteça da melhor forma, sem prejuízos para o negócio nem para os usuários envolvidos no processo.

Existem dois lados dessa moeda que precisam estar perfeitamente alinhados para que tudo corra bem. De um lado está o servidor virtual contratado, que precisa estar configurado de forma a suportar a capacidade de processamento que os dados armazenados exigem. Do outro estão as aplicações, que devem ser construídas ou adaptadas com a otimização necessária para o bom funcionamento em um servidor na nuvem.

Por isso, é preciso avaliar bem as condições desses dois lados para o melhor aproveitamento de soluções de cloud.  Um modelo de TI híbrida, que aproveita serviços de TI externos e internos, pode ser uma boa opção quando não há como fazer essa implementação de aplicações para um servidor remoto.

Gostou dos benefícios que a sua empresa pode ter com uma solução de cloud?  Então baixe o ebook e saiba como migrar o seu negócio para a nuvem.

banner-home-modelo-guiapratico

Posts relacionados:

Para melhorar sua experiência,
selecione um perfil de conteúdo: