Receba conteúdo diretamente no Messenger Podcasts exclusivos, direto no Spotify

O que evitar ao planejar a comunicação para micro e pequenas empresas?

Redator MPE | 19 de janeiro de 2016

Uma das dúvidas que mais assombram os empreendedores é sobre a forma de comunicar seu negócio. E não é para menos: com um mundo cada vez mais conectado, é muito difícil definir uma estratégia de comunicação que gere engajamento e empatia do público, principalmente na internet. Sabendo disso, o Endeavor listou 7 pecados capitais da comunicação para pequenos negócios, com o que você deve evitar na hora de definir seu planejamento estratégico. São dicas importantes e de prevenção, para que suas ações sejam assertivas e tragam bons resultados. Confira a lista dos principais erros:

Acreditar que marketing é só para grandes empresas

 

Existem estratégias de marketing para todos os tamanhos de empresas, independente do tamanho, do segmento, do estilo ou do quanto se pode investir. Claro que cada tipo de empresa demanda diferentes tipos de comunicação. Você pode começar criando um logo profissional, depois materiais institucionais, como cartões, canetas e, enfim, criar seu canal de comunicação. O que importa é definir a estratégia certa para seu tipo de negócio, de público, entender o que ele quer e como interagir com cada um, seguindo a ideia dos 4Ps do marketing: praça, preço, produto e promoção.

Deixar que alguém amador crie sua marca

 

A marca do seu negócio é responsável pelas “primeiras impressões”: toda vez que alguém a vir em um anúncio, em uma placa, em um cartão de visitas ou em jornais, ele será capaz de gerar um impacto, positivo, neutro ou negativo, mas, mesmo assim, marcante. Por isso, no processo de criação do logo profissional, deixe o trabalho na mão de alguém que seja profissional em criação, que saiba captar a essência do seu negócio e saiba o que faz.

Não investir na equipe como um canal de comunicação

 

Nos primeiros anos de sua empresa, você tem a possibilidade de falar frente a frente com seus clientes. No entanto, à medida que o tempo passa, a empresa começa a crescer, a equipe que você lidera começa a ser maior e você fica menos tempo em contato com seus consumidores. Por isso, é importante que você estimule seu time a estar sempre alinhado com os valores da empresa e entre si, pois isso faz com seus funcionários oferecem melhores experiências para os clientes, que vão indicar seus serviços para outros e o boca a boca vai aumentar o seu saldo positivo, bem como, uma experiência ruim pode gerar burburinho negativo.

Cometer erros básicos e achar que ninguém está vendo

 

Algumas vezes, erros de gramática em e-mails, no site ou em banners podem passar despercebidos e gerar polêmica e repercussão. Você não pode deixar sua empresa parecer amadora e relevar esse tipo de situação: venda sua empresa muito bem, peça desculpas por possíveis problemas e entregue um serviço de qualidade. Com um resultado excelente, você passa a ter uma imagem incrível e uma base de clientes e fãs engajada. Como disse André Diamand: “Você não precisa ser grande, precisa parecer ser grande”.

Marketing ser o primeiro da lista no corte de “gastos”

 

É importante que você entenda o marketing como um investimento, não um gasto. Quando você faz bem feito, o retorno é certo: essa á uma das premissas de um bom resultado de campanha, pois, se você investiu da forma certa e usou as estratégias certas, a comunicação será convertida em vendas e em novos clientes. Sempre que pensar em cortar a verba do Marketing, pense se você não está colocando de lado sua fonte de receita.

Não medir os resultados das campanhas que você faz

 

É imprescindível medir o ROI (retorno de investimento) de suas campanhas e ações de marketing, pois só assim é possível saber se a estratégia está funcionando do jeito que você projetou. Algumas campanhas são mais fáceis de mensurar, como as de mídia paga online, nas quais você rastreia as conversões. Outras são mais difíceis, como distribuição de flyers nas ruas. Nesse caso, há alguns gatilhos, como cupons de desconto ou benefícios que façam o cliente entrar em contato.

Vender seu produto

 

Você quer que seu cliente seja fiel, então não venda um produto, venda um serviço, uma ideia, um benefício. O cliente quer o prazer, a sensação que o produto vai fornecer para ele. Por exemplo, o cliente não quer massa feita de trigo, água, fermento e cereais; ele quer um pão francês quentinho e saboroso para tomar no café da manhã com a família. Por isso, pense sempre: o cliente vai usar seu produto ou contratar seu serviço? Qual o real problema a ser resolvido? Qual será a sensação e experiência que ele terá ao usar seu produto? Pensando assim, pode apostar que sua empresa será essencial para ele.

Fonte: https://goo.gl/EfEQIC

Posts relacionados:

Para melhorar sua experiência,
selecione um perfil de conteúdo: