Consultor Especializado mais perto da sua empresa> Sou de Média e Grande Empresa Sou de Micro e Pequena Empresa

Para melhorar sua experiência, selecione um perfil de conteúdo:

07/dez
Algar Telecom
Qual a importância da alta disponibilidade na infraestrutura de TI?

A indisponibilidade de serviços de TI pode ter um efeito desastroso nos negócios. Em um mercado com uma demanda crescente por infraestruturas confiáveis ​​e de alto desempenho, projetadas para atender a sistemas críticos, é quase impossível não falar em alta disponibilidade.

Neste artigo, vamos explicar o que é alta disponibilidade e mostrar por que ela é tão importante para os negócios, principalmente em relação à produtividade. Confira!

O que é alta disponibilidade?

Na computação, o termo disponibilidade é usado para descrever o período de tempo em que um serviço está disponível, bem como o tempo exigido por um sistema para responder a uma solicitação feita por um usuário.

Alta disponibilidade, nesse sentido, é a qualidade de um sistema ou componente que garante um alto nível de desempenho operacional por um determinado período de tempo.

Dessa forma, a alta disponibilidade funciona como um mecanismo de resposta às falhas de infraestrutura. A maneira como ela funciona é bastante simples conceitualmente, mas normalmente requer algum software de monitoramento e configuração especializados.

Por que a alta disponibilidade é importante?

Atualmente, as empresas demonstram forte dependência da internet para fazer negócios. Nesse sentido, ficar indisponível, mesmo que por um curto intervalo, pode gerar perdas consideráveis para as empresas.

Além disso, a indisponibilidade afeta diretamente a produtividade dos colaboradores. Sempre que ocorre uma falha em hardwares, softwares ou rede de uma empresa, muitos de seus funcionários ficam improdutivos, aguardando que suas ferramentas de trabalho voltem a funcionar.

Mas o que causa a indisponibilidade? Bem, as empresas estão sujeitas a uma série de incidentes, planejados ou não, que podem tornar seus sistemas indisponíveis, tais como substituição de equipamentos, ataques ransomware, falhas técnicas etc.

A implementação de alta disponibilidade para sua infraestrutura é uma estratégia útil para reduzir o impacto desses tipos de eventos. Sistemas altamente disponíveis podem se recuperar rapidamente de incidentes, muitas vezes, de forma automática.

Medindo a taxa de disponibilidade

A disponibilidade geralmente é expressa como uma porcentagem que indica quanto tempo de atividade é esperado de um determinado sistema ou componente em um determinado período de tempo, em que um valor de 100% indicaria que o sistema nunca falha. Por exemplo, um sistema que garante 99% de disponibilidade em um período de um ano pode ter até 3,65 dias de inatividade (1%).

As empresas têm diferentes necessidades de disponibilidade. Aquelas que precisam permanecer operacionais o tempo todo durante o ano terão como meta “cinco noves”, ou seja, 99,999% do tempo de atividade, o que representa, aproximadamente, 5 minutos de inatividade por ano.

Esses valores são calculados com base em vários fatores, incluindo períodos de manutenção programados e não programados, bem como o tempo para recuperação de uma possível falha do sistema.

Quais componentes do sistema são necessários para alta disponibilidade?

Existem vários componentes que devem ser cuidadosamente considerados para a implementação de alta disponibilidade. Muito mais do que uma implementação de software de monitoramento, a alta disponibilidade depende de fatores como:

  • Ambiente: se todos os seus servidores estiverem localizados na mesma área geográfica, uma condição ambiental, como uma inundação ou acidentes de grandes proporções, poderá derrubar todo o sistema. Ter servidores redundantes em diferentes data centers e áreas geográficas aumentará a confiabilidade.
  • Hardware: servidores altamente disponíveis devem ser resilientes às quedas de energia e falhas de hardware, incluindo discos rígidos e interfaces de rede. A redundância de servidores é uma alternativa a ser considerada.
  • Software: todos os softwares, incluindo o sistema operacional e aplicações, devem estar preparados para lidar com falhas inesperadas que podem exigir uma reinicialização do sistema, por exemplo.
  • Dados: perda ou inconsistência de dados podem ser causados ​​por vários fatores e não se restringem às falhas no disco rígido. Sistemas altamente disponíveis devem considerar a segurança dos dados. Contar com uma solução de backup eficiente é essencial.
  • Rede: interrupções de rede não planejadas representam outro possível ponto de falha para sistemas altamente disponíveis. É uma falha frequente nas empresas e impacta significativamente a produtividade dos colaboradores. É importante que uma estratégia de rede redundante esteja em vigor para possíveis falhas.
  • Monitoramento: um sistema de monitoramento de aplicações e dispositivos para detectar falhas e possíveis riscos é primordial para garantir uma infraestrutura de alta disponibilidade.

Trabalhe para reduzir a duração das interrupções

Incidentes sempre acontecem. Por isso, contar com procedimentos definidos para essas situações é essencial para que os serviços sejam restaurados o mais rápido possível.

É importante ter em mente que cada segundo em que o sistema de TI da empresa estiver indisponível representa perdas significativas.

Como vimos, um sistema de monitoramento é imprescindível para garantir a alta disponibilidade. Clique aqui e conheça três dicas essenciais sobre monitoramento de aplicações.

Deixe seu comentário