Artigos Algar Telecom | 13 de dezembro de 2017

Como não perder os melhores talentos humanos da sua empresa

Tempo de leitura: 5 minutos

Dificilmente um bom colaborador pede demissão se estiver se sentindo útil, motivado, com um plano de carreira promissor e um salário equivalente ao seu talento. No entanto, uma série de falhas no tratamento dos membros de sua equipe pode fazer com que a empresa fique desfalcada e sofra com a falta de recurso humano especializado.

Perder um grande talento ou um braço direito por insatisfação do colaborador pode ser surpreendente para muitos gestores, porém,  o pedido de demissão é só o epicentro de diversos problemas que podem ser observados caso o líder esteja atento aos sinais de sua equipe. Aos que não tomam esse tipo de cuidado, um pedido de dispensa pode parecer que tenha como motivo central a questão salarial, mas, na maioria dos casos, esse é o motivo menos relevante para a saída de algum colaborador talentoso.

Não é raro ver que grandes empresas têm perdido os seus melhores profissionais, que optam por abrir negócios próprios ou vão atuar em algum concorrente em troca de melhores condições de trabalho. Mas afinal, se nem sempre o salário é o primeiro motivo que leva a esse pedido de demissão, quais são os fatores que fazem com que as grandes organizações percam os seus melhores talentos? Na lista a seguir, apresentamos 6 erros que podem causar esse grande prejuízo e que não devem ser cometidos de forma alguma. Afinal, perder um profissional qualificado, habituado ao cargo e ao negócio, pode atrapalhar substancialmente o andamento de uma companhia.

1 – Não valorizar o colaborador

Com o tempo, um colaborador que não se sente valorizado diminuirá a sua performance ou pedirá demissão. É importante ressaltar que esse reconhecimento não significa pagar um alto salário. Claro que um bom ordenado é uma das formas de valorizar um profissional talentoso, mas outros pontos devem ser priorizados.

Segundo a pirâmide de Maslow, por exemplo, autorrealização e autoestima são as duas maiores carências do ser humano. Se o gestor não reforça a importância de seu funcionário para o sucesso da empresa, pode ser que esse talento não se sinta motivado. Para valorizar esse colaborador, o líder deve demonstrar, por meio de gestos e elogios, que o trabalho realizado foi bem feito e trouxe bons resultados.

Enviar uma mensagem mostrando satisfação ou dar os parabéns pessoalmente, de modo inesperado, pode aumentar a autoestima do funcionário e fazer com que ele se sinta realizado com o serviço desempenhado. Os gestores precisam ter ciência que, muitas vezes, uma palavra de reconhecimento pode ter mais efeito do que um bônus financeiro.

2 – Não oferecer um plano de carreira atrativo

Um dos principais motivos para que uma empresa perca um de seus talentos é por esses se sentirem estagnados em suas carreiras e não vislumbrarem perspectivas de mudança. A empresa precisa mostrar a seus melhores profissionais que ele não irá fazer a mesma atividade por toda a sua vida profissional e que tampouco chegará logo no seu limite de crescimento.

Geralmente os grandes talentos aspiram alcançar cargos de destaque, eles gostam de aprender e de se sentir desafiados. Por isso, o líder deve apresentar visões consistentes de estratégia e futuro da empresa, dialogando abertamente a respeito de suas pretensões na carreira. Falar sobre essas questões de maneira vaga, indireta e sem previsões pode desanimar o colaborador.

Outra estratégia para que o profissional se sinta engajado e com chances de crescimento é oferecer a ele a oportunidade de desenvolver projetos desafiadores, além de cursos de capacitação para que aprimore o seu conhecimento. Porém, isso tem que andar junto com a possibilidade de mudança de cargo e aumento de salário. O funcionário não quer simplesmente ter que assumir mais responsabilidades e mais trabalho sem ter uma contrapartida efetiva.

3 – Não incluir os melhores talentos nas decisões da empresa

Geralmente, os profissionais mais talentosos querem se sentir responsáveis pelo triunfo da organização. Por isso, compartilhar com os funcionários que mais se destacam algumas decisões da empresa, ao perguntar qual é a sua opinião sobre determinada ação, pode fazer com que ele se sinta integrado ao sucesso do negócio. Para ir além disso, o líder também pode dar mais autonomia a seus melhores talentos, oferecendo-lhes um maior poder para tomadas de decisão.

4 – Esconder os talentos do colaborador ou apropriar-se deles

Uma das razões mais certeiras para a saída de um bom colaborador é quando o seu talento é escamoteado. Isso pode ocorrer de duas maneiras, quando gestores se apropriam das ideias de seus funcionários ou quando os líderes escondem de seus superiores o talento de sua equipe. Esse tipo de situação provoca um sentimento de inferioridade e impotência no colaborador que, ao ver que essas atitudes podem se repetir, opta por pedir demissão.

Por isso, um verdadeiro líder deve sempre dar o crédito das ideias a quem as idealizou de fato. Em vez de assumir o mérito de algum trabalho, deve dar luz ao verdadeiro responsável, fazendo com que ele se sinta valorizado pelo feito e, desse modo, fique motivado a continuar buscando soluções inovadoras para a organização.

5 – Fazer com que o profissional leve trabalho para casa constantemente

É natural, sobretudo aos talentos acima da média, uma maior demanda de tarefas. Sempre existem colaboradores que costumam permanecer no ambiente de trabalho para além do horário convencional, ou que ficam sempre disponíveis para resolver qualquer demanda, independentemente do horário. Se isso for recorrente, pode fazer com que o colaborador se sinta fadigado e esgotado emocionalmente.

Esse tipo de reação, além de trazer prejuízos a seu desempenho, pode levar o profissional a uma complicação de saúde e, por consequência, ao afastamento ou demissão do trabalho. Por isso, o líder precisa ter bom senso e não abusar da disponibilidade de seus talentos fora do ambiente e horário de trabalho. Fazer com que essa prática seja comum é correr o risco de perder aquele colaborador.

6 – Não celebrar as conquistas da equipe

Processos rotineiros, normalmente bem encaminhados, não se caracterizam como atividades a serem comemoradas, mas existem grandes conquistas dentro de uma empresa que devem ser celebradas: metas alcançadas, a obtenção de um resultado positivo inesperado, um crescimento fora do previsto, o fechamento de um grande negócio, dentre outras.

Muitas empresas tratam essas conquistas como meras obrigações que foram cumpridas, fazendo com que a equipe não se sinta motivada e inspirada a buscar outros triunfos como esses. Este ambiente, em que alcançar grandes resultados é tratado de forma fria e robótica, pode se tornar desanimador para os profissionais mais talentosos, que perdem a identificação com o propósito da empresa. Isso também pode levar, em pouco tempo, a um pedido de demissão.

As grandes empresas precisam pensar nas estratégias para reter os seus melhores talentos e evitar a evasão dos profissionais que podem ajudar a alavancar o crescimento da organização. Na sua empresa, existe um ambiente favorável para que bons funcionários, que almejam crescer, contribuam com a equipe e construam melhores resultados para o negócio? Conte-nos suas experiências nos comentários.

empresas

Deixe seu comentário