Artigos Algar Telecom | 22 de junho de 2017

5 dicas para acertar na escolha de um ponto comercial

Tempo de leitura: 5 minutos

A escolha de um ponto comercial é determinante para o sucesso do negócio e, para se certificar de que fez a escolha certa, o empreendedor precisa estar atento a uma série de fatores, que envolvem questões geográficas, legais, financeiras e estratégicas.

Pesquisar sobre qual será o modelo de operação, quem serão seus clientes e como a empresa irá se relacionar com os futuros vizinhos são passos importantes nesse processo. Confira algumas dicas que podem ajudar o empreendedor no momento da escolha de um ponto comercial:

1 – Fazer uma boa pesquisa antes de escolher o ponto

A primeira e essencial dica é fazer uma ampla pesquisa antes de optar por um determinado ponto comercial. Não adianta ir atrás apenas de uma indicação, seguir a intuição ou optar pela primeira opção que surgir. Existem diversas possibilidades e, certamente, haverá uma mais adequada às particularidades do seu negócio.

O empreendedor deve listar de três a cinco pontos comerciais na hora de escolher onde irá abrir seu negócio. Se existe a possibilidade de um único ponto, não há opção, e sim a falta dela. Essa é a hora de correr atrás e esgotar todas as possibilidades.

2 – Adaptar o ponto ao seu negócio

Algumas vezes, as lojas de rua podem ser mais lucrativas, por não exigirem o pagamento das altas taxas cobradas nos shoppings. No entanto, podem oferecer mais riscos aos empresários ou não atrair o público desejado. Por outro lado, os shoppings podem dar mais segurança, mas inviabilizar financeiramente a empresa ou atrair frequentadores que não tenham afinidade com a marca ou não tenham condições de adquirir seus produtos e serviços.

Em se tratando de uma franquia, sua operação deve ser pensada no longo prazo, o que implica em conhecer as características atuais e potencialidades das regiões onde ela será instalada, permitindo que as unidades sejam abertas em locais que favoreçam o seu crescimento.

Portanto, o melhor ponto será aquele selecionado após a avaliação das as principais vantagens e desvantagens para o modelo de negócio a ser comercializado.

3 – Checar a viabilidade da rede

É comum que quase todos os processos de um empreendimento sejam digitais, cadastros, controle de estoque, atendimento ao cliente, fluxo de caixa, entre outros. Devido a necessidade, por parte das empresas, de segurança e qualidade em seus serviços, poder contar com uma boa infraestrutura de TI e telecom tornou-se uma questão, sobretudo, estratégica, para que possam desempenhar suas atividades sem correr riscos com problemas técnicos e estruturais.

Portanto, ao visitar um possível ponto comercial, lembre-se de verificar a viabilidade da rede, as condições da fiação (se é muito antiga, por exemplo), o limite de velocidade, etc. Analise se a estrutura disponível naquele local atende às necessidades do seu negócio e comporta a instalação de uma boa rede de TI e telecom.

4 – Conhecer o modo como os clientes chegam ao negócio

Antes de escolher um ponto comercial, o empreendedor deve avaliar se o seu negócio é de passagem ou de destino. Se os consumidores vão porque são atraídos pela fachada, como ocorre em um fast food, o negócio é de passagem. No entanto, se os clientes estão dispostos a se deslocar, como é o caso de um restaurante ou de um cabeleireiro, o empreendedor tem um negócio de destino.

Identificar em qual dessas duas opções o negócio se enquadra é essencial na hora de optar por um ponto. O negócio de passagem depende de alto fluxo de passantes, por isso, precisa ter boa visibilidade e tentar aproximar a venda à porta para captar os clientes. Já o negócio de destino deve ter serviços adicionais, como estacionamento.

Além disso, há a necessidade de avaliar se aquele ponto terá ou não acessibilidade para seus clientes, a pé ou de carro. Por exemplo, é preciso considerar se o negócio será localizado em uma rua sem saída ou uma rua de mão única, no caso de o meio de transporte utilizado pela maioria dos clientes ser o carro. Além disso, o ponto deve estar adaptado a pessoas com deficiência.

5 –Negociar um valor justo pelo ponto comercial

O momento da negociação de preços é crucial e é preciso muita sabedoria para evitar prejuízos. O saudável é que o aluguel esteja entre 8% a 11% do valor de faturamento bruto da empresa. No caso de contratos de aluguéis em andamento e, diante do faturamento real do empreendimento, as negociações podem chegar até a 15% do valor de sua receita. Dessa forma, o negócio consegue manter uma margem de lucratividade saudável para sobreviver e desenvolver bem suas atividades.

É importante lembrar que o lucro é resultado da conta matemática: receita versus despesas. Para isso, o empreendedor deve analisar suas contas e verificar se as despesas do seu ponto comercial estão entre esses percentuais. É preciso considerar, além do aluguel mensal, todas as despesas no longo prazo com o contrato, o que deve envolver ajustes futuros.

6 –Avaliar a área de atuação dos vizinhos

Conhecer e estudar a concorrência é fundamental. Afinal, não é suficiente ter um bom endereço, é preciso considerar a melhor localização dentro dele, procurar marcas que concorram ou que complementem seu negócio.

Para isso, é essencial avaliar em qual região determinado produto ou serviço será mais consumido. Haverá uma grande vantagem se estiver onde as pessoas estão acostumadas a consumir. Se o negócio encontra-se em uma rua periférica, será preciso investir mais em marketing, por exemplo.

No entanto, isso depende do produto comercializado. Uma loja de moda pode estar ao lado de outras marcas do mesmo ramo e para o mesmo público, porque a característica do negócio é que o consumidor olha diversas vitrines. Por outro lado, uma loja de materiais de construção deve estar em uma área que seja caracterizada por esse tipo de serviço.

Ao longo do texto foi demonstrado que o melhor ponto não é o mais barato ou o mais caro, o maior ou o menor, mas aquele que possui as características físicas, adequação ao público do negócio e condições comerciais e legais que propiciem a melhor relação custo-benefício e ofereçam mais segurança aos comerciantes na condução de seus negócios.

E você, já está em busca de um novo ponto comercial? Compartilhe conosco suas experiências!

empresas

Deixe seu comentário