Receba conteúdo diretamente no Messenger Podcasts exclusivos, direto no Spotify

Empreendedorismo Feminino – 7 mulheres empreendedoras para você conhecer e se inspirar

Algar Telecom | 19 de outubro de 2017

‘Mas é preciso ter força, é preciso ter raça, é preciso ter gana sempre’. O verso de Milton Nascimento é um hino de celebração da força da mulher e sua capacidade de superar desafios e galgar sucesso mesmo em cenários nem sempre positivos. Dificuldades sobram para toda e qualquer mulher com desejo de empreender, inovar e conquistar seus objetivos, mas ‘é preciso ter manha, é preciso ter graça, é preciso ter sonho sempre’.

Neste mês em que se comemora o Dia do Empreendedor, faz-se necessário abordar a figura feminina no mercado. Nunca na história do mundo corporativo a mulher teve tanta participação como nos dias atuais. Entre histórias de superação para romper com estereótipos de gênero, empreendedoras brasileiras têm batalhado para desenvolver seus próprios negócios e já representam mais de 8 milhões de empresárias em todo o território nacional. Esse número significa um aumento de 34% na quantidade de empreendedoras nos últimos 14 anos.

Conheça a história de Daniela Mendes Ribeiro, proprietária de um salão de festas que, em seu dia a dia, concilia sua rotina em casa e no trabalho:

Em escala global, a tendência de crescimento é a mesma. Estudos de alguns dos mais renomados institutos de empreendedorismo mundial mostram que, atualmente, mais da metade das pessoas que iniciam seu próprio negócio são mulheres. Aos poucos, essa realidade vem quebrando paradigmas sobre a figura feminina no ambiente de negócios e, até mesmo, dentro de suas próprias casas. A cada dez lares brasileiros, quatro já são chefiados por mulheres.

Uma prova da mudança cultural sobre a figura da mulher no âmbito profissional é o perfil dessas empreendedoras, cuja significativa parcela é composta por jovens. De acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), 40% das empresárias brasileiras possuem menos de 34 anos.

Pesquisas feitas dentro das empresas mostram que aquelas lideradas por mulheres podem ser mais lucrativas e representar um melhor ambiente de trabalho para seus colaboradores. Isso se dá pelo fato das líderes assimilarem, com mais facilidade, habilidades de gestão essenciais, como a empatia, organização e capacidade de lidar com vários assuntos de uma só vez.

Superando barreiras

Apesar da inegável evolução da participação da mulher no ambiente corporativo, fica claro que sua atuação ainda carrega uma série de desafios se os dados forem analisados no contexto correto.

No atual panorama de negócios no mundo, 30% de empreendimentos privados são liderados ou idealizados por uma mulher. Essa realidade poderia soar como algo promissor se não fosse o fato da esmagadora maioria desses empreendimentos serem considerados micro ou pequenos. No caso de grandes corporações mundiais, apenas 5% dos cargos de CEO são ocupados por mulheres.

Na conjuntura brasileira, as mulheres são donas de 43% das micro e pequenas empresas, estatísticas próximas da igualdade entre os gêneros. No entanto, em 75% desses negócios cujas donas são mulheres, o faturamento médio é de apenas R$24 mil ao ano, o que significa uma renda mensal de R$2 mil, realidade muito distante de negócios altamente lucrativos.

A maioria delas vê no empreendimento uma alternativa para galgar sua independência financeira. Todavia, não possuem grandes subsídios de investimentos ou tempo para se dedicar aos desafios de uma gestão de negócios. Muitas são obrigadas a empreender dentro da própria casa, realidade de 35% daquelas que abrem seu próprio negócio no Brasil. Os principais setores de atuação são restaurantes, serviços domésticos, salões de estética e venda de cosméticos.

Lidar com estereótipos, machismo, desconfiança, atribuições equivocadas, assédios e uma série de outros graves problemas de origem cultural ainda é uma dura realidade relatada por profissionais mulheres de todo o mundo. Fato que valoriza ainda mais aquelas que possuem engajamento e deixam aflorar seu espírito de inovação.

Por isso, nada melhor do que se inspirar em algumas dessas mulheres de negócio que foram atrás de seus sonhos e hoje são reconhecidas por sua competência na arte de empreender. São inúmeros os casos de sonhos muito bem planejados que se transformaram em histórias que dão gosto de ser lidas e compartilhadas. Vamos conhecer algumas dessas notáveis brasileiras:

Sônia Hess – Dudalina

sonia-hess-dudalina

Sônia Hess é uma das mulheres de negócio de mais destaque no país. É ela quem está, desde 2003, à frente da marca de roupas Dudalina, dando continuidade à trajetória inaugurada por sua mãe (dona Lina). Após assumir a presidência da marca, seu espírito empreendedor transformou a loja, que atuava em âmbito regional no estado de Santa Catarina, em uma camisaria de destaque no cenário brasileiro. Atualmente, Dudalina é uma marca referência também exportada para vários outros países.

Rachel Maia – Pandora

rachel-maia-pandora

As qualidades inovadoras de Rachel Maia fizeram com que ela se destacasse por suas constantes evoluções no modo de fazer negócio. Atual CEO da joalheria Pandora no Brasil, ela é considerada uma pioneira no mercado de luxo nacional. Atualmente, o país é um dos que mais expandem a atuação da marca no mundo, graças à forma destemida de sua líder. Com apenas duas lojas inicialmente instaladas em 2008, Rachel multiplicou exponencialmente a atuação da marca até se transformar em uma das joias mais adquiridas e prestigiadas no mercado nacional.

Alcione Albanesi – Lâmpadas FLC

alcione-albanesi-lampadasFLC

Alcione Albanesi está por trás da criação e desenvolvimento das Lâmpadas FLC. Suas características empreendedoras fizeram com que, aos 17 anos, montasse uma empresa de confecções que atingiu a marca de 80 funcionários. Anos depois, no início da década de 90, Alcione descobriu uma lâmpada fluorescente com alto custo-benefício comercializada nos EUA. Ela pesquisou mais sobre o assunto, investiu no ramo e abriu outra empresa, que se transformou em uma das mais conhecidas no setor energético. Em 2017, a marca ganhou, em sua categoria, o prêmio “Líderes de Vendas” pelo quarto ano seguido.  

Chieko Aoki – Blue Tree Hotels

chieko-aoki-blue-tree-hotels

Em dez anos, a empresária e fundadora do Blue Tree Hotels transformou seu negócio em uma das maiores redes hoteleiras do país. Hoje, configura-se como uma marca referência em excelência de serviços no setor. Chieko foi considerada, em 2013, pela revista Forbes, como a segunda mulher de negócios mais poderosa do Brasil. Seu nome está presente nas listas de melhores executivas brasileiras de todos os tempos. Também possui nomeações honrosas, como um cargo vitalício na Academia Brasileira de Marketing.  

Luiza Helena Trajano – Magazine Luiza

luiza-helena-trajano-magazine-luiza

Luiza Helena Trajano foi a responsável por transformar uma rede de lojas no interior de São Paulo em um império do varejo nacional conhecido como Magazine Luiza. Sua loja passou a ser uma das mais procuradas para comprar de diversos tipos de produtos, mesmo diante da grande concorrência varejista. Nas últimas duas décadas, Luiza tem dado palestras ao redor do país e servido de referência nos quesitos empreendedorismo, liderança e trabalho na evolução de um negócio.

Viviane Senna – Instituto Ayrton Senna

iviane-senna-instituto-ayrton-senna

Mesmo fora das pistas, Viviane Senna conseguiu um legado talvez ainda maior daquele conquistado por seu irmão e ídolo nacional Ayrton Senna. Fundadora do Instituto Ayrton Senna no início da década de 90, seu trabalho já auxiliou mais de 15 milhões de crianças e jovens espalhados por todo o país. Cerca de 700 mil educadores também foram formados pela ONG. Viviane é uma das empreendedoras mais respeitadas do Brasil e ocupa cadeiras em uma série em conselhos e entidades corporativas brasileiras.  

Heloísa ‘Zica’ Assis – Beleza Natural

heloísa-zica-assis-beleza-natural

Criada em uma família humilde no interior fluminense, Heloísa Assis, antes de ganhar o mundo dos negócios, foi babá e empregada doméstica. O DNA inovador que percorria suas veias fez com que  ela desenvolvesse, ao longo de dez anos, uma fórmula para cuidar de seu cabelo ondulado.  Ao perceber que os produtos no mercado se propunham a sempre alisar os fios em vez de valorizar sua naturalidade, ela abriu seu próprio salão especializado em cabelos iguais aos seus. Hoje, a empresa Beleza Natural já possui quase 2 mil funcionários liderados por Zica e expande a cada dia a venda de seus produtos.   

As mulheres ganham o mercado a cada dia em busca do protagonismo. Não tenha medo de colocar em prática seus objetivos. A maioria dos casos de sucesso começa na forma de pequenos negócios, mas que prosperam pelo trabalho bem desenvolvido. Não tenha medo de inovar, começar novos negócios ou até mesmo desenvolver seu produto no mercado. Estamos na era das transformações e da quebra de paradigmas. Aproveite suas qualidades, pois o sucesso está em suas mãos!

Posts relacionados:

Para melhorar sua experiência,
selecione um perfil de conteúdo: