Consultor Especializado mais perto da sua empresa> Sou de Média e Grande Empresa Sou de Micro e Pequena Empresa

Para melhorar sua experiência, selecione um perfil de conteúdo:

05/nov
Cristina Cruz
5 tendências de segurança digital para implementar em 2019

Todos os dias surgem novas ameaças, como as fraudes digitais, por exemplo, que podem colocar a integridade das empresas em risco. Por isso, a tecnologia vem evoluindo e desenvolvendo soluções com o objetivo de evitar esse problema. Assim, as tendências de segurança digital surgem para ajudar as empresas a se protegerem.

Neste artigo, apresentamos 5 tendências de segurança digital para implementar em 2019 para garantir a proteção da rotina de trabalho do seu negócio. Confira!

5 tendências de segurança digital para implementar em 2019

1. Machine Learning

A machine learning pode ser considerada a revolução para a segurança da informação. É o que defende um artigo recentemente publicado na revista Forbes. No texto, Kris Lahiri, cofundador da Egnyte, explica que os robôs são treinados para reconhecer padrões e podem utilizar essa característica para identificar os comandos usados por hackers. Assim, impedem os invasores de acessarem dados corporativos.

A tendência também pode identificar os algoritmos usados por vírus e malwares no roubo de dados. O objetivo é prever ataques cibernéticos e revelar se programas maliciosos podem invadir um sistema utilizando apenas algumas linhas de código.

2. Internet das coisas

A Internet das Coisas também pode ser incluída na lista das tendências de segurança digital. O conceito de internet das coisas diz que todos os nossos dispositivos estão conectados. Por isso, uma ação realizada em um aparelho, pode ser identificada em outro. Dessa forma, é possível identificar ações suspeitas.

Empresas como o Google, por exemplo, criaram maneiras de notificar seus usuários sempre uma atividade estranha é realizada em seus e-mails. Os especialistas preveem que, no futuro, será possível também recebermos notificações caso um banco de dados seja acessado de forma indevida. Dessa forma, será mais fácil identificar ameaças de segurança da informação na rede corporativa.

3. Proteção em camadas

Essa é uma das tendências de segurança digital que já deveria estar sendo aplicada há anos. Os hackers estão sempre um passo à frente na tecnologia desenvolvendo formas de invadir e roubar dados das empresas. Essas, por sua vez, deveriam investir em estratégias e soluções cada vez mais avançadas para garantir sua segurança.

A proteção em camadas envolve uma série de práticas e tecnologias, como firewall, antispam etc., para bloquear todo e qualquer acesso vindo de fontes duvidosas.

4. Cloud computing

As soluções de cloud computing oferecem para as empresas uma nova forma de armazenamento e gerenciamento de dados e informações. Nesse modelo, os arquivos e a infraestrutura de TI da empresa são armazenados no ambiente online, ou seja, na nuvem.

Os servidores não são mais espaços físicos, limitados e vulneráveis. Eles podem estar aqui no Brasil ou em qualquer outro lugar do mundo. Ou, ainda, em vários lugares diferentes, quando a empresa cria cópias de segurança de seus dados. Dessa forma, é possível acessar as informações sempre que for necessário, de qualquer lugar e em qualquer dispositivo, permitindo maior mobilidade nas relações de trabalho. Além disso, várias pessoas, em diferentes locais, serão capazes de acessar aquelas informações. Por isso, é uma solução utilizada por diversas multinacionais.

cloud computing será, ainda, uma aliada de empresas que sofrerem ataques cibernéticos, como ransomware, por exemplo. Nesse tipo de crime, os hackers invadem o banco de dados da empresa, bloqueiam o acesso à máquina e depois enviam notificações cobrando recompensas para que eles sejam liberados. Ao utilizar a cloud computing, a empresa pode recuperar as informações salvas em seus bancos de dados na nuvem.

5. Regulamentação

Na Europa, as discussões sobre a importância de uma regulamentação para a segurança da informação já são frequentes. A União Europeia está discutindo e estudando regras para garantir a privacidade das instituições, principalmente no que diz respeito ao Big Data. O objetivo das discussões é garantir o sigilo dos dados empresariais e punir quem descumprir com a regulamentação.

No Brasil, o Marco Civil da Internet é uma legislação que, por enquanto, regulamentou apenas questões de segurança das informações dos usuários. Recentemente alterado, o documento agora conta com a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD).

A LGPD determina como os dados dos cidadãos podem ser coletados e tratados, quem não cumprir com a lei, pode ser punido. Em contrapartida, as empresas seguem sem regulamentação específica que garanta a proteção de seus dados.

Todas essas tendências de segurança digital são importantes para auxiliar as empresas a se manterem protegidas. Além disso, também é importante fazer um monitoramento contínuo da rede, a fim de evitar a perda ou o comprometimento dos dados.

O monitoramento de rede deve detectar problemas, resguardar dados e identificar ameaças à rede. Saiba mais sobre o papel do monitoramento de rede para a segurança de TI da sua empresa

Deixe seu comentário