Receba conteúdo diretamente no Messenger Podcasts exclusivos, direto no Spotify

Mercado de Startups: o que é, como abrir uma, quais problemas solucionam?

Algar Telecom | 9 de janeiro de 2020

MPE

Se tomarmos como base a definição da palavra, startup significa “o ato de começar algo”. Porém, esse termo, tão falado atualmente, vai muito além disso. 

Tendo como ponto de partida uma ideia inovadora e nunca antes explorada, as startups ganham cada vez mais espaço, trazendo soluções para inúmeros problemas (muitos que nem sabíamos que existiam).

Mas o que elas ofereçam que as tornam tão desejadas? Como criar a sua própria startup? Descubra isso e muito mais nesse post.

O que é uma startup?

Startup é uma empresa com um modelo de negócio repetível e escalável, criada em um ambiente de incertezas com o propósito de oferecer ao público algum tipo de inovação, geralmente vinda da tecnologia.

No entanto, é importante ressaltar que para uma empresa ser considerada startup não precisa, necessariamente, trabalhar nesse segmento. O que acontece é que com a internet e as tecnologias cada dia mais acessíveis e amplas, é quase impossível para essas empresas não lançarem mão desses recursos — afinal, o principal objetivo é trazer inovações.

Características de uma startup

Como dito anteriormente, o modelo de negócio de uma startup precisa, obrigatoriamente, ser repetível e escalável. Isso quer dizer que sua proposta deve solucionar um problema, mas também gerar lucros. 

Usar essa fórmula de “soluções + lucros” para que ele se torne facilmente replicável e com condições amplas de crescimento é o que caracteriza esse modelo.

Já quando falamos que ela deve ser criada em um ambiente de incertezas significa, basicamente, ser uma ideia pensada fora da caixa e dos padrões, ou seja, que apresenta soluções nunca antes cogitadas.

Tipos de startups 

As startups podem ser divididas de diversas formas, uma delas é pelo tipo de negócio que oferecem, como:

  • B2B (business to business): startup que atende outras empresas;
  • B2C (business to consumer): startups voltadas para o público final;
  • B2B2C (business to business to consumer): startups que atendem empresas, mas com foco no cliente final.

Se considerarmos os nichos de atuação, chegamos a termos como:

  • Fintech: voltadas para o mercado financeiro;
  • Healthtech: saúde e medicina;
  • Edtech: educação;
  • Lawtech: direito.

Como funciona uma startup?

Para funcionar, a proposta da startup também precisa gerar receita. Dessa forma, ela atrai investidores para apostarem no negócio. A soma da oferta de uma solução diferenciada a esses investimentos é o que faz essas empresas decolarem.

Uma forma de conseguir créditos é através de investidores-anjo, pessoas que colocam seu próprio dinheiro na ideia por acreditarem que ela pode dar certo e render bons lucros. Mas há também as grandes organizações, que têm apostado cada vez mais alto nas startups, incentivando e colaborando para o seu crescimento.

O que é preciso para abrir uma startup?

Se o que foi dito até aqui lhe pareceu bastante interessante e você tem a veia do empreendedorismo pulsante, o que acha da ideia de criar a sua própria startup? 

Esse modelo de empresas solucionam os mais variados problemas, desde locomoção, a exemplo da Uber, até hospedagem, como o Airbnb. Ou seja, se você tem uma ideia que ninguém nunca pensou, que gere valor e que solucione um problema comum a muitas pessoas, por que não arriscar?

O primeiro passo é ter espírito empreendedor, somado a isso, autonomia, dedicação e (muita) disposição para arriscar. Esses itens fazem parte das suas características? Então, basta seguir os próximos passos:

  • desenvolva um protótipo e realize testes;
  • valide rapidamente sua ideia;
  • busque parceiros;
  • capte recursos.

Maiores dificuldades em abrir uma startup

Quando vemos grandes nomes no mundo das startups como a Easy Taxi, Sambatech, ContaAzul, Descomplica, iFood e o grande unicórnio brasileiro, Nubank, até parece fácil chegar ao sucesso.

Mas para quem está começando agora com esse modelo de negócio, as principais dificuldades são:

  • baixo incentivo governamental;
  • falta de know-how e talentos com conhecimentos técnicos;
  • dificuldade em encaixar seu negócio em categorias já existentes;
  • falta de apoio, como programas de aceleração.

Mas mesmo com essas dificuldades, o número de startups cresce cada vez mais no Brasil (já temos mais de 12 mil, segundo a Associação Brasileira de Startups — Abstartups). O principal motivo? Elas são essenciais para substituir processos engessados e que já não atendem mais o público, e isso em diversos setores.

Se empolgou com a ideia? Então acesse este link e descubra como conseguir parceiros de peso para a sua startup!

Posts relacionados:

Para melhorar sua experiência,
selecione um perfil de conteúdo: