Receba conteúdo diretamente no Messenger Podcasts exclusivos, direto no Spotify

Entenda como funcionam os smartphones modulares

Algar Telecom | 25 de maio de 2016

Em um mundo essencialmente conectado, as empresas estão pensando cada vez mais em soluções versáteis, que se adaptem às necessidades de cada usuário, acompanhem a mobilidade e atendam ao maior número de demandas possível. É seguindo essa linha que surgiu a proposta dos smartphones modulares, aqueles celulares que oferecem a possibilidade de serem montados e desmontados pelo próprio consumidor, de acordo com o que pede cada situação. Mas você sabe como funciona essa montagem e quais as possibilidades? Vamos te contar agora. Acompanhe.

Possibilidades de montagem

As empresas oferecem um modelo básico e, a partir dele, o consumidor pode montar seu aparelho, por exemplo, colocando uma câmera mais potente ou uma bateria com maior capacidade de duração ou um dispositivo com mais espaço de memória. Os desenvolvedores acreditam que, com os smartphones modulares, os celulares durarão por muito mais tempo, já que o usuário poderá trocar os módulos com defeitos ou alterar as peças, adaptando o aparelho constantemente e impedindo que fique obsoleto. O Google, por exemplo, uma das empresas com modelos modulares, possui 11 protótipos de módulos diferentes para a montagem do smartphone, o que possibilita mais de 20 opções de telefones.

Curiosidades sobre os smartphones adaptáveis

A possibilidade de montar seu celular de acordo com o que você precisa em cada momento é bastante animadora. No entanto, os módulos vão depender também do quanto você tem para investir. Algumas empresas, como o Google, têm uma série de pontos e um cronograma sobre o lançamento dos aparelhos modulares. Confira as características do modelo da empresa:

Preço: o modelo mais básico do Google terá o custo de produção de 50 dólares e uma versão mais robusta na faixa dos 500 dólares.

Módulos: os módulos serão a parte responsável por conter as diferentes funcionalidades a serem adicionadas ao aparelho, ou seja, são as partes disponíveis para acrescentar ou alterar. A ideia é que sejam ligados por magnetismo a um esqueleto, que terá três padrões de tamanho (pequeno, médio e grande). Além de poder comprar módulos, qualquer pessoa pode criar seus próprios módulos, de acordo com o kit de desenvolvimento do Google. A compra deles será feita tanto em lojas virtuais quanto em lojas físicas que já trabalhem com produtos da empresa.

Módulos com múltiplas funções: não necessariamente um módulo terá uma função única. Desde que se respeite o design e o modelo do aparelho, é possível combinar opções e criar módulos capazes de resolver diversas necessidades de uma vez. Por exemplo, um modelo pode comportar uma bateria melhor e uma câmera de tecnologia mais avançada.

Motivos para investir em um smartphone modular

Além da chance de longa duração do telefone, já que é possível trocar peças defeituosas, ou que tenham baixo potencial, por módulos com tecnologia inovadora, os modelos modulares tornam-se mais vantajosos e baratos para os consumidores a longo prazo. E não é só isso: os desenvolvedores também se beneficiarão com a tecnologia, uma vez que terão mais liberdade para criar um pedaço de smartphone com um esquema pronto, ao invés de um celular completo. Isso elimina algumas etapas industriais, o que consequentemente diminui custos e otimiza processos.

Em suma, a tecnologia dos smartphones modulares é uma promessa que pode revolucionar o mercado de telefonia móvel, estendendo prazos de duração, criando possibilidades de adaptação a diferentes situações e despertando novas perspectivas para as empresas.

Assim, o futuro dos smartphones será um estímulo à inovação e à interação entre empresas e usuários, já que os consumidores terão o poder de montar o celular ideal e, em paralelo, os fornecedores estarão sempre prontos para novas tecnologias. Resta saber quando esse futuro chegará até nós.

Posts relacionados:

Para melhorar sua experiência,
selecione um perfil de conteúdo: