Receba conteúdo diretamente no Messenger Podcasts exclusivos, direto no Spotify

Melhores práticas de migração de dados para a nuvem

Algar Telecom | 17 de dezembro de 2018

A migração de dados para a nuvem é a solução para empresas que precisam aumentar o espaço de armazenamento, reduzir o número de dispositivos usados, ganhar em mobilidade e praticidade no acesso. A migração oferece inúmeros benefícios, mas muitos gestores têm dúvidas quanto ao processo, que — vale lembrar — deve ser feito com total segurança.

O objetivo deste artigo é auxiliar empresas e gestores que vão realizar o procedimento para que o façam de forma eficaz e segura. Confira a seguir quais são as melhores práticas de migração de dados para a nuvem.

Melhores práticas de migração de dados para a nuvem

Uma pesquisa realizada pela F5 Networks revelou que 81% das empresas respondentes pretendiam migrar para soluções de nuvem híbrida. O levantamento daquele ano já mostrava o nível de importância dado para a solução.

A migração de dados para a nuvem, porém, é um processo complexo que requer conhecimento específico e profissionais especializados. Ao realizá-lo de forma autônoma, a empresa estará assumindo o risco de perda ou vazamento de seus dados. Por isso, é fundamental seguir uma série de cuidados.

1. Comece pelo planejamento

Conheça os tipos de armazenamento em nuvem oferecidos no mercado, pesquise pelos fornecedores e avalie seus contratos. Veja se eles podem atender as necessidades da empresa de forma completa, quais são as soluções e o serviço de suporte prestados. Além disso, saiba quais são as especialidades dos profissionais que vão te atender.

Antes, tenha conhecimento das cargas de trabalho e das necessidades de acesso aos dados que pretende transferir para a nuvem. O perfil da equipe que vai utilizá-la diariamente também deve influenciar em sua escolha.

2. Contrate uma equipe especializada

A migração de dados para a nuvem é um processo complexo e muito delicado. São as informações confidenciais da empresa transitando entre servidores. Uma equipe especializada terá mais propriedade para avaliar as necessidades e oferecer soluções adequadas para atender sua demanda.

O serviço de uma consultoria ou outsourcing de TI vai avaliar a estrutura, fazer o levantamento de dados, entender os processos e rotinas internas. Após compilar todas essas informações, você chegará à melhor forma de fazer a migração de dados para a nuvem.

Além de garantir a segurança no processo, o objetivo de contratar uma equipe também é financeiro, pois esses profissionais otimizarão e reduzirão os custos necessários, sem impactar na performance das atividades. A equipe escolhida deverá ajudar com a atualização do planejamento, definindo datas e ações para cada etapa do projeto.

3. Faça uma limpeza de dados

Dados duplicados, inconsistências e arquivos de armazenamentos são informações desnecessárias que impactam no espaço utilizado em nuvem. Por esse motivo, a empresa deve fazer uma limpeza para garantir disponibilidade no servidor cloud. Dessa forma, será possível organizar a base de dados e utilizar apenas o espaço realmente necessário de armazenamento.

4. Cuide das particularidades

Durante a avaliação do que será migrado, fique atento nos sistemas que dependem de outros para operar. Por exemplo, arquivos que só podem ser utilizados por meio de programas específicos.

O ideal é que eles permaneçam em data centers físicos. Isso evitará que os colaboradores precisem fazer download em suas máquinas para acessarem. Dessa forma, evita-se a complexidade no acesso, duplicidade nos processos e no armazenamento.

5. Priorize a segurança digital

O número de ataques cibernéticos está crescendo. O Brasil é o segundo país no mundo com maior número de crimes cibernéticos, de acordo com o relatório da Norton Cyber Security de 2017. Apesar disso, apenas 4% das empresas se consideram prontas para enfrentá-los.

segurança digital deve ser prioridade para empresas que estão migrando seus dados para a nuvem. Invista em recursos que aumentarão a proteção de sua rede, como:

  • uso de firewall;
  • ferramentas para monitorar o uso do data center na nuvem;
  • senhas complexas, com letras maiúsculas e minúsculas, números e símbolos;
  • autenticação em dois fatores;
  • conexão em redes seguras;
  • acesso ao data center em redes públicas via VPN;
  • criptografia;
  • definição de um plano de recuperação de desastres e mitigação de riscos;
  • backups periódicos.

Dessa forma, será possível diminuir os riscos de uma possível invasão ou ataque.

Apesar de complexa, a migração de dados para a nuvem deve ser feita de forma prática, minimizando os impactos causados em sua operação. No e-book O Guia Prático da Migração para a Nuvem, mostramos o passo a passo. Faça o download gratuito para utilizá-lo em sua migração! 

Posts relacionados:

Para melhorar sua experiência,
selecione um perfil de conteúdo: